Em evento inédito, servidores(as) com deficiência da JF5 se reúnem para debater acessibilidade e inclusão

Imagem: Encontro resultou em uma Carta Aberta que será enviada à Presidência do TRF5 e às Seccionais

Encontro resultou em uma Carta Aberta que será enviada à Presidência do TRF5 e às Seccionais

Fonte: Secom JFAL

O Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência (21/09) foi marcado, na Justiça Federal da 5ª Região (JF5), por relatos emocionantes, trocas de experiências e discussões sobre as barreiras físicas e emocionais vivenciadas por servidoras, servidores e terceirizados(as) com deficiência da JF5. A oficina “Nada sobre nós sem nós”, que integrou as atividades da I Semana de Acessibilidade e Inclusão reuniu presencialmente, em um evento inédito na 5ª Região, cerca de 20 participantes, a maioria com deficiência, representando as seis Seções Judiciárias vinculadas, para falar sobre acolhimento, inclusão e condições de trabalho adequadas. O encontro aconteceu durante toda a tarde desta quarta-feira (21), na Sala Capibaribe do Tribunal Regional Federal da 5ª Região - TRF5.

Em um vídeo exibido no início da oficina, o presidente da Corte, desembargador federal Edilson Nobre, reforçou que o TRF5, seguindo o compromisso que o Estado brasileiro firmou internacionalmente, promoveu um evento histórico, favorável à inclusão das pessoas com deficiência. Ele destacou que o Tribunal vem realizando obras estruturais voltadas à melhoria da acessibilidade e investindo em tecnologia, como o Sistema Processual Eletrônico - PJe, de forma a integrar todos os servidores “num corpo só” e, com isso, satisfazer os compromissos com os Direitos Humanos e mostrar que o desenvolvimento é algo maior que a mera geração de riqueza. “Desenvolvimento é, antes de tudo, a satisfação da pessoa humana”, enfatizou.

O juiz federal auxiliar da Presidência, Hallison Bezerra, que é padrasto de uma adolescente com paralisia, falou brevemente sobre a experiência de poder acompanhar o crescimento e desenvolvimento de um familiar com deficiência e registrou a satisfação de poder presenciar, no Tribunal, um evento voltado à inclusão.

Em seguida, a diretora-geral do TRF5, Telma Motta, falou sobre a importância do encontro. “O Tribunal já tem 33 anos e só agora conseguiu fazer a I Semana de Acessibilidade, dando esse foco diferente, embora já existam comitês específicos no Tribunal e nas Seções, que já vêm trabalhando em diversas frentes para tentar ser uma instituição inclusiva”. Ela ressaltou, no entanto, que não é fácil falar sobre o tema. “Quando não temos a necessidade, nem percebemos o que precisa ser feito. Quem tem que dizer isso para gente são vocês. A importância disso é justamente o que vocês vão levantar de necessidades a mais. O bê-a-bá a gente está tentando fazer, mas o que precisamos fazer a mais para ser inclusivos?”, questionou.

Após a abertura do evento, foram iniciadas as dinâmicas da oficina, cujas facilitadoras foram a juíza federal Lianne Mota, presidente da Comissão de Acessibilidade da Justiça Federal no Rio Grande do Norte (JFRN), e as servidoras Cybelle Lemos e Shirley Magnólia, também integrantes da JFRN.

Carta Aberta

Como resultado do encontro, os participantes redigiram a “Carta Aberta: manifesto pela inclusão e acessibilidade na Justiça Federal da 5ª Região”, com reivindicações e proposições voltadas à melhoria das condições de acessibilidade e inclusão da pessoa com deficiência no Poder Judiciário. A ideia, reforça o documento, não é só garantir direitos dos servidores(as) e colaboradores(as) da JF5, mas transmitir valores e exemplos para a sociedade.

Segundo os(as) servidores(as) com deficiência que participaram da elaboração do documento, foi identificado que, nas diversas etapas da jornada laboral - desde o processo admissional até o trabalho rotineiro -, há capacitismo e discriminação. Diante disso, apontam, o manifesto “é necessário não apenas para garantir condições de trabalho adequadas, mas também promover a criação de um ambiente inclusivo, em que o preconceito, os estereótipos e o capacitismo não encontram guarida”.

A Carta Aberta será encaminhada à Presidência do TRF5 e às direções dos Foros das Seções Judiciárias de Alagoas, Ceará, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte e Sergipe.

Programação

A programação da I Semana de Acessibilidade e Inclusão continua nesta quinta-feira (22), com atividades locais nas Seccionais. Na sexta-feira (23), será realizada a palestra “A importância da gestão da acessibilidade”, destinada aos integrantes das Comissões de Acessibilidade das Seções Judiciárias. Ministrada pela assessora para Inclusão e Acessibilidade do Tribunal de Contas da União (TCU), Valéria Cristina Gomes Ribeiro, a exposição acontecerá das 10h às 12h, através da plataforma Zoom. A programação contará, ainda, com a apresentação do coral da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais do Rio Grande do Norte (APAE-RN).

Por: Secom JFAL, com informações do TRF5
Institucional
Carta de Serviços
Concursos
Comunicação
Juizados Especiais
Turma Recursal
Transparência
Plantão Judiciário
mapa do site

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência.
A navegação no site implica concordância com esse procedimento, em consonância com a nossa Política de Privacidade.