Candidatos a conciliadores da JFAL participam de etapa final do processo

Imagem: Comissão de magistrados compõem a banca responsável pela seleção

Fonte: Secom JFAL

Imagem: Candidatos participaram da entrevista da última etapa de seleção para conciliadores

Fonte: Secom JFAL

Os candidatos a conciliadores da Justiça Federal em Alagoas (JFAL) participaram nesta quinta-feira, 1º, da segunda fase do certame, que consiste na entrevista e análise curricular. O processo também aconteceu nas Subseções de União dos Palmares, Arapiraca e Santana do Ipanema. O resultado final será divulgado no próximo dia 5 de dezembro, conforme estabelece o edital.

A presidente da banca responsável pelo processo, juíza federal Flávia Hora Oliveira de Mendonça, é importante avaliar os níveis dos candidatos e ter uma análise do perfil de cada um. Ela ressaltou a importância dos conciliadores para o funcionamento da Justiça. “Trata-se de uma força de trabalho essencial para o Judiciário. Muitos dos candidatos que recebemos hoje têm um perfil acadêmico, mas é importante o interesse deles em fazer parte desse processo. A minha avaliação desta seleção é bastante satisfatória”, disse a magistrada. A composição da banca também conta com os juízes federais Aline Soares Lucena Carnaúba e Aloysio Cavalcanti Lima.

A estudante do décimo período de Direito, Nayane Vitória, destacou a organização da banca e considerou a segunda etapa tranquila e proveitosa. “Até aqui adquiri muitos aprendizados, e espero poder aprender e contribuir ainda mais como conciliadora. Acredito que esse seja um papel muito importante no trabalho de acordar, fazer com que ambas as partes entrem em um acordo. Espero poder desempenhar esse papel aqui na JFAL”, comenta Nayane.

Os conciliadores são auxiliares da Justiça e têm a função de examinar as ações antes das sessões de conciliação e preparar relatório do caso; abrir e conduzir a sessão de conciliação, sob orientação do juiz ou juíza, promovendo o entendimento entre as partes; certificar os atos ocorridos na audiência de conciliação; lavrar os termos de conciliação, submetendo-os à homologação do magistrado; elaborar termos de conciliação, com atenção aos dados do processo, entre outros. A carga horária é de, até, 20h semanais, sem remuneração.

Por: Beatriz Rodrigues (estagiária) e Delane Barros / Secom JFAL
Institucional
Carta de Serviços
Concursos
Comunicação
Juizados Especiais
Turma Recursal
Transparência
Plantão Judiciário
mapa do site

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência.
A navegação no site implica concordância com esse procedimento, em consonância com a nossa Política de Privacidade.