Dessobrestamento: Presidência do TRF5 emite Nota Técnica referente ao Tema 939/STF, sobre matéria tributária

O Tema 939, que trata da possibilidade de as alíquotas da contribuição ao Programa de Integração Social (PIS) e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (COFINS) serem reduzidas e restabelecidas por regulamento infralegal, é o foco da Nota Técnica de Governança do Sobrestamento nº 3/2022, emitida pela Presidência do Tribunal Regional Federal da 5ª Região - TRF5.

Afetado sob a sistemática dos recursos extraordinários repetitivos, o Tema 939 teve o RE 1043313/RS como representativo da controvérsia e levou o Supremo Tribunal Federal (STF) a fixar a seguinte tese: “é constitucional a flexibilização da legalidade tributária constante do § 2º do art. 27 da Lei nº 10.865/04, no que permitiu ao Poder Executivo, prevendo as condições e fixando os tetos, reduzir e restabelecer as alíquotas da contribuição ao PIS e da COFINS incidentes sobre as receitas financeiras auferidas por pessoas jurídicas sujeitas ao regime não cumulativo, estando presente o desenvolvimento de função extrafiscal”.

Por orientação da Presidência do TRF5, os processos em que o acórdão recorrido tenha considerado inconstitucional a possibilidade da flexibilização discutida no Tema 939 devem ser devolvidos ao órgão julgador, para adequação. Por outro lado, nos casos em que tiver sido reconhecida a constitucionalidade do dispositivo em questão, deve ser negado seguimento ao recurso no qual for defendida tese contrária.

Atualmente, 73 processos eletrônicos encontram-se sobrestados no TRF5 pela afetação do Tema 939 /STF. A Nota Técnica de Governança do Sobrestamento nº 3/2022, que se propõe a esclarecer e orientar os magistrados a respeito do posicionamento da Presidência sobre o tema, traz, ainda, modelos para despachos e decisões.

Esse procedimento alinha-se à Nota Técnica 08/2018, do Centro Nacional de Inteligência da Justiça Federal, encaminhada aos presidentes dos Tribunais e coordenadores dos Juizados Especiais Federais, a fim de que “avaliem a conveniência da adoção de procedimentos uniformes por tema quanto ao momento para o levantamento do sobrestamento dos processos, diante dos julgamentos de questões com repercussão geral ou repetitivas”.

O que é governança do dessobrestamento?

A partir do recebimento de um grande volume de recursos sobre uma mesma controvérsia (demanda repetitiva), o STF pode analisar o mérito recursal a partir do chamado “recurso repetitivo” - um conjunto de recursos especiais com teses idênticas.

Quando uma determinada questão de direito é enquadrada na sistemática dos repetitivos, os processos que tratam daquela matéria ficam sobrestados, ou seja, suspensos, até que o STF julgue o tema e fixe uma tese que deverá ser aplicada em todos os feitos que aguardam na origem.

As Notas Técnicas de Governança do Sobrestamento emitidas pela Presidência do TRF5 têm o papel de orientar os magistrados da 5ª Região no momento de retirar a suspensão e aplicar a tese estabelecida pelo STF, para que todos adotem o mesmo procedimento.

Consulte o Tema na Rede de Inteligência da Justiça Federal da 5ª Região

Por: Secom JFAL, com informações do TRF5
Institucional
Carta de Serviços
Concursos
Comunicação
Juizados Especiais
Turma Recursal
Transparência
Plantão Judiciário
mapa do site

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência.
A navegação no site implica concordância com esse procedimento, em consonância com a nossa Política de Privacidade.