Quarta-feira, 19 de fevereiro de 2020 12:44

Campanha Fevereiro Laranja

Quase 6 mil homens e 5 mil mulheres serão diagnosticados com leucemia no Brasil em 2020, segundo o INCA. Para alertar sobre os sintomas e conscientizar a população sobre esse câncer hematológico, foi criada a Campanha Fevereiro Laranja.

Diferentemente de outros tipos de cânceres que acontecem, principalmente, em pessoas de mais idade, as leucemias podem aparecer em qualquer época da vida. Inclusive, dentre os cânceres pediátricos, ela está em primeiro lugar nos mais comuns. Não se sabe exatamente o porquê das leucemias se desenvolverem, entretanto acredita-se que seja devido a uma mutação genética não somática. Ou seja, uma mutação que não pode ser passada dos pais para filhos.

Os sintomas dessa doença variam de acordo com a sua intensidade, sendo que nas agudas, eles são mais visíveis. O paciente normalmente manifesta sinais de anemia, como: palidez, cansaço e sonolência. Além de gânglios aumentados, febre, infecções, sangramentos e hematomas. Já nas leucemias crônicas, é possível que os pacientes não apresentem nenhum sinal. Mas, os que desenvolvem, sentem cansaço e aumento dos gânglios e baço.

Quando a leucemia infantil é diagnosticada precocemente e a criança submetida ao tratamento adequado, as chances de cura chegam a 80%. Já as leucemias agudas em adultos podem precisar de tratamento mais intenso, com quimioterapia, terapia alvo, radioterapia e/ou transplante de medula óssea, mas também apresentam bons prognósticos se diagnosticadas rapidamente.

O grande problema no transplante de medula óssea, um dos temas abordados pela Campanha, é a compatibilidade. Para que esse procedimento possa ser feito, é preciso que a medula do paciente e do doador sejam compatíveis, assim como acontece no transplante de órgãos.

Na próxima quinta-feira (20), a Caixa de Assistência dos Advogados, da OAB, promoverá uma ação no térreo da JFAL com aferição de pressão e teste de glicemia, sendo o tema o Combate contra a Leucemia.

A JFAL realizará ação de cadastro de doador de medula óssea em parceria com HEMOAL em 03 de março de 2020.

Para se tornar um doador de medula óssea é necessário: Ter entre 18 e 55 anos de idade, apresentar o documento de identidade, estar em bom estado geral de saúde, não ter doença infecciosa ou incapacitante, não apresentar doença neoplásica (câncer), hematológica (do sangue) ou do sistema imunológico, algumas complicações de saúde não são impeditivas para doação, sendo analisado caso a caso.

Participe, seja um doador voluntário de MEDULA ÓSSEA!