Quinta-feira, 06 de junho de 2019 09:12

Práticas sustentáveis da JFAL são lembradas no Dia Mundial do Meio Ambiente

No dia 5 de junho, celebra-se o Dia Mundial do Meio Ambiente. A data foi estabelecida em 1972, durante uma reunião de chefes de Estado da Organização das Nações Unidas (ONU), em Estocolmo, na Suécia. Desde então, a data vem sendo lembrada para sensibilizar pessoas, organizações e países sobre a importância de proteger a natureza.


No Brasil, o dia tornou-se semana. A Semana do Meio Ambiente: entre os dia 1º e 5 de junho. Ciente da importância do assunto, a Justiça Federal em Alagoas tem desenvolvido várias ações que contribuem para minimizar os impactos de suas atividades sobre o meio ambiente, a exemplo do descarte de lixo eletrônico; substituição das lâmpadas tradicionais por LED; destinação de autos findos judiciais à Cooperativa dos Catadores da Vila Emater, além de campanhas internas de conscientização ambiental.

Saiba mais sobre as ações sustentáveis da JFAL

Descarte de lixo eletrônico - Itens como microcomputadores, impressoras, monitores, estabilizadores, aparelhos telefônicos, teclados, caixas de som, todos inservíveis ou irrecuperáveis, sem condições de uso, totalizando cerca de 3.700 quilos, foram destinados à Cooperativa dos Recicladores de Alagoas (COOPREL); Ela também foi a destinatária dos resíduos de construção civil (dutos de ventilação, tubos, conectores e acessórios em chapas de aço e ferro, exaustores em aço galvanizado, motores, serpentinas e filtros de ar), no total de aproximadamente mil quilos.
De acordo com a coordenadora da Comissão Socioambiental da JFAL, Giselle Maciel, esses materiais tiveram a destinação correta e puderam ser revertidos em renda para os catadores de materiais recicláveis que integram a Cooperativa. “Vale destacar que a referida instituição é devidamente credenciada junto à JFAL, conforme o Termo de Parceria nº. 003/2017 – JFAL”, ressaltou ela.


A coordenadora salienta também que, no segundo semestre de 2018, foi firmado um Termo de Cooperação com o Tribunal de Justiça/AL, o Tribunal Regional do Trabalho da 19ª Região e o Tribunal Regional Eleitoral/AL, com o objetivo de proporcionar a execução de programas e ações interinstitucionais de responsabilidade socioambiental, nas áreas de racionalização e redução de custos, logística integrada, capacitação, destinação adequada de resíduos e compras sustentáveis compartilhadas. O desenvolvimento das ações conjuntas está em fase de planejamento e deverá acontecer ainda em 2019, tão logo sejam aprovadas pelos respectivos órgãos. 


Substituição das lâmpadas tradicionais por lâmpadas de LED - a substituição já foi feita nas áreas recém-reformadas, e estão sendo adquiridas lâmpadas suficientes para concluir a substituição em todo o Edifício-Sede e Subseções Judiciárias.


Destinação sustentável dos autos findos -  Nos meses de outubro e novembro/2018, foram destinados mais de 20.500 quilos de autos findos judiciais à Cooperativa dos Catadores da Vila Emater – COOPVILA, instituição credenciada junto à JFAL, conforme o Termo de Parceria nº. 002/2017 – JFAL. Após o recebimento, os processos foram desmontados e fragmentados. Todo o procedimento foi acompanhamento por um oficial de justiça avaliador federal, para garantir o sigilo e a correta descaracterização do material.


Campanhas internas de conscientização ambiental – Desenvolvimento de ações para os servidores e público interno da JFAL, que vem sendo acompanhado, mensalmente, através dos indicadores de desempenho estabelecidos pelo CNJ.  
Fazendo-se um comparativo entre os anos de 2017 e 2018, foi possível verificar que a JFAL alcançou os seguintes resultados positivos:  Papel A4, teve uma redução de 7,5% do consumo; Impressão, foram reduzidos 11,35% da quantidade de impressão; houve redução de mais de 9% no consumo de Água Envasada; a energia também sofreu redução em 12,6%, além da ampliação da gestão de resíduos, em quase 40%.


“Esses resultados demonstram a eficiência das práticas de responsabilidade socioambiental adotadas pela JFAL, que contribuem diretamente para a utilização racional dos recursos naturais e a diminuição do impacto ambiental, tão necessários à preservação do Meio Ambiente”, finalizou a coordenadora.