Terça-feira, 19 de março de 2019 08:25

TRF5 celebra 30 anos da instalação

Homenagens e inauguração de Memoriais foram os destaques durante as comemorações

A história do Tribunal Regional Federal da 5ª Região – TRF5 pode ser considerada recente, se comparada à de outras instituições públicas. Mas, ao longo das três décadas de existência, o Tribunal construiu uma grande história de trabalho e realizações, destacando-se no cenário jurídico nacional. As memórias da trajetória da Corte foram compartilhadas não apenas por magistrados e servidores, mas também por diversas autoridades e personalidades jurídicas que prestigiaram a solenidade de comemoração dos 30 anos do TRF5 na tarde de hoje (18). 

Foi no Salão do Pleno que os convidados acompanharam a entrega de placas comemorativas a cada um dos dez magistrados da primeira composição da Corte. Depois, foi a vez de 81 servidores que atuam no TRF5 desde 1989 terem seus nomes aclamados durante a cerimônia. Em nome de todos os servidores homenageados, o servidor Marcos Antônio de Souza Veras, mais antigo entre todos, recebeu uma placa confeccionada especialmente para a ocasião. 

A cerimônia contou, também, com o lançamento do Selo e Carimbo Comemorativos dos 30 anos do Tribunal. Seis magistrados foram convidados a obliterar o selo: os desembargadores federais Manoel Erhardt, Cid Marconi, Paulo Cordeiro e Lázaro Guimarães, além do ministro do Superior Tribunal de Justiça, Francisco Falcão, e do desembargador emérito do TRF5, Ridalvo Costa.

Os convidados acompanharam, ainda, a apresentação do quinteto de cordas da Orquestra Criança Cidadã, que incluiu no repertório canções como “Carinhoso” e “Aquarela do Brasil”.

Ao final da solenidade, o presidente do TRF5, desembargador federal Manoel Erhardt, discursou, destacando a trajetória da Corte, desde a instalação até as conquistas atuais. “O que mais nos sensibiliza é enfatizar a importância dos dez fundadores desta Corte. É difícil imaginar, em tempo de hoje, com tanta tecnologia, com tantos recursos materiais disponíveis, como aqueles magistrados conseguiram suplantar as dificuldades para dar início a uma nova instituição. É algo muito marcante na vida de cada um”. Erhardt também destacou o trabalho de todos os que integram o Tribunal. “Renovo meus agradecimentos a cada um dos servidores. Estendo também os agradecimentos a cada um dos terceirizados, que são tão importantes para o êxito dos nossos trabalhos, e a todos os magistrados dessa Corte”, finalizou. 

Memorial do TRF5
Dentro das comemorações, o TRF5 inaugurou o Memorial do Tribunal Regional Federal da 5ª Região, instalado no térreo do edifício-sede, no Recife/PE. O espaço conta com uma linha do tempo, fotos e ambientes virtuais e interativos, que trazem fatos e personalidades que marcaram a história do TRF5. Os primeiros processos e a biografia dos desembargadores também compõem o acervo do Memorial.

“Todas as instituições precisam preservar a memória. É dessa forma que as novas gerações vão conhecendo as bases da instituição e, consequentemente, vão valorizando o ambiente em que trabalham. Por isso, decidimos criar um memorial, registrando os fatos mais marcantes da vida deste tribunal nesses trinta anos. Esperamos que novas peças sejam acrescentadas por muitos e muitos anos e que esse memorial conserve o trabalho e a dedicação de tantos que fizeram o Tribunal Regional Federal da 5ª Região”, declarou o presidente do Tribunal, desembargador federal Manoel de Oliveira Erhardt. 

“A instituição, que ajudamos a instalar, cresceu na atividade de julgar cada vez mais e melhor. É um orgulho para todos nós que formamos a primeira composição, vermos que partimos do nada para a estrutura atual após esses 30 anos. Os processos vieram de Brasília, do antigo Tribunal Federal de Recursos, em um caminhão. Foi um trabalho árduo, mais que deu muito prazer”, relembrou o primeiro presidente do TRF5, o desembargador federal emérito Ridalvo Costa.

Para o ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Francisco Cândido de Melo Falcão Neto, o memorial é uma prova do processo de instalação do TRF5. Ele também fez parte da primeira composição do TRF5. “Isso mostra a dificuldade que os iniciantes do Tribunal, os fundadores, a começar pelo presidente Ridalvo Costa, tiveram para instalar este tribunal em uma sede provisória e com pouquíssimas condições materiais de trabalho. Lembro que chegou de Brasília um caminhão com processos que tiveram que ser distribuídos manualmente para os dez integrantes do Tribunal. Esse acervo constitui um marco e vai incentivar as novas gerações de magistrados a continuar a bela trajetória deste tribunal”, lembrou. Além de participar da inauguração do Memorial do TRF5, o ministro Francisco Falcão ainda contribuiu com o acervo do Memorial Ministro Djaci Falcão com obras, trabalhos e publicações.

“Aqui está um resumo da nossa história. É necessário registrar essa história para as gerações futuras. O que foi feito, as lutas que tivemos que travar, as afirmações do Tribunal.  Tudo isso serve de exemplo para que o jovem venha aqui e se inspire no esforço que fizemos em benefício da justiça e do jurisdicionado.”, afirmou a desembargadora federal aposentada e ex-presidente do TRF5, Margarida Cantarelli.

Memorial Ministro Djaci Falcão 
Antes da solenidade comemorativa, o TRF5 inaugurou o Memorial Ministro Djaci Falcão, no 15º andar do edifício-sede. O espaço é uma homenagem ao magistrado que dá nome ao prédio e conta com uma vitrine de fotos que traduzem em imagens a trajetória do ministro, desde a infância até o final da carreira jurídica. Djaci Falcão nasceu na cidade de Monteiro/PB, em 4 de agosto de 1919. Ingressou na magistratura em 1944 e assumiu a presidência do Supremo Tribunal Federal (STF) no período de 1975 e 1977. Faleceu no ano de 2012, aos 92 anos.

 

Autor: Divisão de Comunicação Social do TRF5 - comunicacaosocial@trf5.jus.br